quinta-feira, 17 de maio de 2012

ALFORRIA


A troco de quê medir a profundidade do mar,
Ou a altura dos píncaros ou dos precipícios?
Quantificar a força das tempestades,
Saber do vento a velocidade,
Tentar calar o lamento, 
Se nem meus vícios controlo?
Pra quê remediar as dores,
Cruzar os portais,
Se o que quero é me esquecer nos corredores?
Largar o excesso de bagagem,
Me abandonar em qualquer porto,  
O meu destino não quero saber!
Ser livre, leve, solta e sem compromisso!
É isso que quero pra mim!



Nathalia Leão Garcia

Rio, 17 de maio de 2012



ENVIO AO CÉU

             Meu querido amigo Israel!           Hoje lhe conto da emoção que reverbera no meu ser, com a leitura do Conto Olhos D´água...