quinta-feira, 31 de outubro de 2013

IMPERMANÊNCIA



Pra não falar que só falei das dores.

Falo hoje das minhas glórias.

Das manhãs de sol em que estou viva!

Não me lembro dos meus fracassos.

Só recordo das minhas vitórias.

Minha memória é seletiva.

Mas a felicidade é ruidosa,

Suscita a inveja alheia.

Espreita nas sombras insidiosa.

Porém ouso enfrentar a cara feia.

Seleciono escolhas e cores.

Que guiarão meus rabiscos.

Não me enredo na perigosa teia.

Sou livre pra viver a minha história.

Pago os preços e assumo os riscos.


Nathalia Leão Garcia

Rio, 31 de outubro de 2013.


REFLEXÕES SOBRE A VIOLÊNCIA

Escrevo agora pela necessidade de me pronunciar sobre os acontecimentos atordoantes que se desenrolaram nas dependências de nosso Colégio ...