segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

SOBRE A TRANSITORIEDADE

                                             

Para os momentos especiais de “salto quântico” quando temos que aprender a arte do desapego e reconhecer o fim das coisas, lembro as palavras de Eckarte Tolle no seu brilhante "O Poder do Agora" que é um livro que amo e venho lendo e relendo há uns 8 anos pelo menos.
Ele é incrível e acerta na mosca quando fala da necessidade de desapego e de nos libertarmos do passado e nos concentrar no presente que é tudo o que temos.
Passamos boa parte da vida tentando reter o passado e adiando nossas conquistas para algum dia distante quando internalizamos que seremos felizes. Esquecemos de ser felizes no processo. Nada é permanente... Aja com simplicidade, apenas aceite a vida como ela é. Cuide do seu jardim para atrair as borboletas....
Nós não nos damos conta com facilidade do fim das coisas , isso é o inexorável da vida! Era necessário este aprendizado! Não se aborreça, nem se indigne, apenas encare com serenidade. Não podemos controlar a vida nem as pessoas. Agora é fluir com o ritmo da vida.
Precisamos nos tornar conscientes dos pensamentos e emoções que nos impedem de vivenciar plenamente a alegria e a paz que estão dentro de nós mesmos.
Nosso verdadeiro poder está nas escolhas que fazemos.
Parabéns pela coragem de tomar as rédeas da vida e escolher ser feliz!

Nathalia Leão Garcia


Rio, 23 de dezembro de 2013


terça-feira, 17 de dezembro de 2013

ESTAÇÕES


Procuro um espaço de sonhos pra repousar o meu cansaço!
Onde poesias alentadoras iluminem meus caminhos tortuosos!
Um oásis em meio à aridez dos dias sem canção.
Um refúgio para o meu coração desabrigado.
Procuro um porto onde eu possa atracar a solidão.
Um farol que norteie meu navio naufragado.
Onde minhas dores e lágrimas possam se desmanchar.
Busco lugares habitados por seres sensíveis.
Onde haja valor para os sentimentos.
Onde vizinhos se cumprimentem e se deem as mãos.
Procuro um canto onde a minha mente possa se desapegar.
Um suspiro de alívio pros meus desvarios.
Um colo que acolha os meus medos.
Uma casa que recupere almas vadias.
Em que todos se amem como verdadeiros irmãos!


Nathalia Leão Garcia

Rio, 17 de dezembro de 2013.




quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

RESQUÍCIOS



Viver é perigoso e temerário.
Um mistério infindável.  
Mas a adrenalina vicia e envenena.
Perdi o medo e as medidas.
Descompostura e irreverência
ultrapassam limites.
Sem culpa nem desculpa.
Não peço licença.
Abro as minhas asas
e aponto a minha antena.
Capto os sinais e me atiro.
Não me ocupo e capturo as chances.
Estamos quites.
Muito mais livres que antes.

Nathalia Leão Garcia

Rio de Janeiro, 05 de dezembro de 2013.


REFLEXÕES SOBRE A VIOLÊNCIA

Escrevo agora pela necessidade de me pronunciar sobre os acontecimentos atordoantes que se desenrolaram nas dependências de nosso Colégio ...