quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

O INEXPLICÁVEL

Amar é precipício
Uma queda, uma vertigem.
Não há preparo prévio.
Somos iniciados sempre virgens.

O amor é rebelião desde a origem
É ele quem nos escolhe de início
sem pressa pra sua morada.  
Se apossa da nossa alma como vício.

O amor não é escolhido
Seu preço é o desajuste
O desconserto é consentido.
E a perda das certezas embute
Não possui nem é possuído.

Quem retorna do amor desprevenido?
Visita as suas terras desavisado
se perde nos seus desertos e é punido?
Ainda retorna desse território desconhecido.

O amor tece o tom da vida
Desvela a epifania do destino
Subverte os códigos da partida
Mergulha fundo no desatino.


Nathalia Leão Garcia

Rio, 4 de dezembro de 2014 



ENVIO AO CÉU

             Meu querido amigo Israel!           Hoje lhe conto da emoção que reverbera no meu ser, com a leitura do Conto Olhos D´água...